Em 2021 frequentei a EIF, projeto coordenado por Susana Paiva e através de um processo de introspeção, baseado nos textos de Gonçalo M Tavares e uma masterclass de Paula Roush que frequentei, resolvi fazer um trabalho fotográfico baseado na doença do meu pai, que acompanhei, quase diariamente.

É uma doença degenerativa, mais conhecida por "Corpus Levy". Uma espécie de Alzheimer. mas mais agressiva.

A abordagem fotográfica resultou neste trabalho em que fotografei o meu pai, o espaço que habita e os objetos de uso diário.

O processo foi fotografar, imprimir em papel normal, amachucá-lo, por num tabuleiro com água e colocar no congelador. Depois tirar no dia seguinte e partir o gelo, decorrente do processo de solidificação da àgua, partir esse gelo e voltar a fotografar. Daqui, quando poder, irá resultar um livro.